domingo, 12 de dezembro de 2010

Eu sinto, e muito!


"Por aqui tem um... sei que tem!" É sério. Sei que isso é meio estranho, na produção da Revista Caderno Dois, passei um tempo fazendo o ensaio sobre os hidrantes em Teresina. Quando saia pela cidade, chegava um certo momento e lugar que eu sentia que por ali perto havia um hidrante. É meio que coisa de destino, pior que o amor, haha, mas aconteceu muito, muito mesmo. Passei a ver ali, uma vida, que até sentimentos tem, um ser que não é notado por muita gente, quer dizer, a maioria das pessoas não sabem que existem hidrantes na cidade, e eles estão ali, dispostos a atender a necessidade do Corpo de Bombeiros, na hora que precisarem dá água. Seu papel na sociedade é de extrema importância, mas cadê o reconhecimento da sociedade com eles? Ninguém enxerga. Presenciei muitas cenas, ficava viajando com alguns e até pensando no que eles poderiam estar imaginando naquele momento. É coisa forte, é bem estranho. Senti na pele a verdadeira realidade de sempre está disposto a ajudar e não ser visto, nem lembrado. Eu sinto, e muito!

Hidrante localizado na zona sul

Bombeiros utilizam o hidrante para reabastecer o caminhão

Hidrantes fotografados por uma câmera Holga


Amigo de todas as horas

Um comentário:

  1. Pokemon, você já catalogou o hidrante do cruzamento da Coelho Rodrigues com 13 de maio? Fica na esquina, na calçada do Hotel Royal.
    Solidária,
    Luiza Meireles

    ResponderExcluir